Liderança - como está a sua? – Faculdade Victor Hugo
Faculdade Victor Hugo
MENUMENU

Liderança – como está a sua?

O início, o meio e o fim: a Liderança, a Gestão e os Resultados!

Muito se discute sobre o termo “Liderança”. O que é Liderança?

Aprecio assuntos que extrapolam discussões comuns. Nesse sentido, convido você a refletir sobre o contexto atual do conceito de Liderança, nos ambientes físicos ou virtuais.

Muito se discute sobre o termo “Liderança”. O que é Liderança? As Lideranças são formais ou informais? De quem é a Legitimidade? Quais são os Tipos/Perfis de Liderança? Que cuidados devem ser tomados pelo Líder (Ética)? Você nasce ou se torna Líder? Nos espaços físicos, as discussões sobre Lideranças e Resultados atingidos são muito frequentes. Nos virtuais, as proporções das discussões são muito maiores.

Esse é o contexto atual da Liderança: a complexidade. O termo se traduz de diversas formas. Ocupamos cada vez mais papéis nestes espaços. Para Liderar, é necessário entender mais sobre pessoas, que estão cada vez mais críticas (algumas vezes mesmo não tendo o mínimo das informações necessárias para então manifestar a própria opinião). A tecnologia está mais rápida do que o bom senso. Alguns usuários alcançam o sadismo, como os recentes conteúdos de racismo ou acidentes de famosos… A tecnologia ao alcance da mão. E, assim, chegamos a mais um paradoxo da humanidade: quanto mais tecnologia usamos, mais civilizados estamos – porém, com mais tecnologia nas relações humanas, mostramos ainda mais nossos instintos não civilizados.

Perceba, você passa o dia impactando ou sendo impactado pela Liderança, a boa ou a ruim, dos pequenos gestos às grandes decisões. Tratamos diariamente sobre Expectativas e Resultados: na família, no trabalho, na sociedade. Por mais antigo que seja o tema “Liderança”, mais ele será crucial para qualquer sociedade, especialmente para as civilizadas. A sustentabilidade das Organizações só é mantida com Liderança acompanhada da Gestão. E, por sua vez, a Gestão reflete o bom uso de recursos (financeiros ou não). Recursos suficientes, com decisões compartilhadas entre o Líder e sua equipe.

De acordo com o relatório IBR (pesquisa elaborada pela multinacional Grant Thornton), com relação às incertezas econômicas, os executivos brasileiros estão entre os mais preocupados do mundo (terceira posição). Só perdemos para a Argentina (segunda) e para a Grécia (primeira). Ressalto que este estudo engloba as economias de 40 países, e vem sendo realizado periodicamente há mais de 20 anos. Além disso, há anos a pesquisa vem mostrando que executivos brasileiros estão aumentando seu estresse. Os motivos são vários, abrangendo aspectos internos e externos (inclusive os conflitos na equipe).

Uma base sustentável gera conformidade nos resultados, a partir da sinergia de uma equipe com múltiplas competências, que recebe autonomia compatível para tomadas de decisão. Estes bons resultados são fruto de um conjunto de ferramentas: de um olhar prolongado para o que vem à frente; dos estudos dos recursos necessários para efetivar as ações desejadas; do mapeamento e entendimento dos riscos que se tem que correr – ou não – para chegar ao objetivo definido; do controle dos aspectos gerenciáveis dos riscos (controles internos da organização); das inovações realizadas. As escolhas da Liderança devem ser compatíveis com as expectativas/cenários/contextos, e compartilhadas com as Partes Interessadas impactadas por tais decisões.

Os erros garantem novos aprendizados. Nesse ambiente de performance, as ideias são construídas com “cocriação” (co-creation); são as que tendem a gerar melhores resultados, pois a gestão participativa é uma parte significativa para o êxito dos projetos. Por fim, a razão de tudo isso: as pessoas e suas expectativas sendo atendidas. São tantos detalhes importantes…

Você pode ter lido esse texto em minutos, no intervalo do almoço, dentro do táxi, ou em mais uma fila de espera (dentre tantas outras que vai entrar ao longo de sua vida), mas tenho certeza que estas palavras de hoje vão ser lembradas em momentos futuros. Nosso cotidiano se traduz em Liderança, seja no que for, o tempo todo. Afinal, a Liderança é assunto de todos nós. Que resultados indesejados estão liderando você? O que você está liderando hoje? Quais rumos estamos tomando com as decisões da Liderança?

Desejo a você uma boa Liderança! Agora vou me despedindo, deixando você continuar a sua própria reflexão…

* Leandro Garcia da Silva possui Graduação em Administração de Recursos (UNISINOS), Graduação em Administração de Empresas (UNISINOS) e Graduação em Direito (UNISINOS). É Pós Graduado em Redes de Associativismo Empresarial (UNISINOS), e em Gestão Financeira e Mercado de Capitais (ULBRA). Possui Certificação Lead Assessor NBR ISO 9001 (Sistema de Gestão da Qualidade). Vem acumulando 15 anos de experiência na área de Gestão, tendo se especializado em Gestão Estratégica, Gestão de Riscos, Qualidade da Gestão, Inovação, Controles Internos, Licitações, Fiscalização de Contratos Administrativos, entre outras áreas. É Empresário do ramo Farmacêutico. Atua como Consultor Empresarial. É funcionário público. É docente do Ensino Superior. Realiza palestras sobre Gestão. Vem exercendo voluntariado há mais de cinco anos no PGQP (Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade, que é vinculado ao MBC – Movimento Brasil Competitivo), além de outros projetos sociais.

Fonte: CRA MG

Mantenha-se Informado

Nós podemos te enviar artigos fantásticos! Veja as vantagens:

  • Não é preciso ser aluno para receber nossos artigos;
  • Não encheremos sua caixa de entrada com SPAM;
  • Não receberá aquilo que não é do seu interesse;
  • Não existe qualquer taxa, é gratuito!

Você poderá cancelar sua assinatura a qualquer momento!

Liderança – como está a sua?

Não é apenas dar aula! Conheça as diferentes vertentes e possibilidades da carreira de um historiador.

O que faz um profissional formado em História?

Você sabe o que faz um profissional formado em História?

Você tem interesse em cursar História? Gosta dos conteúdos da disciplina e se dá bem nas questões do tema propostas nas provas? Boa parte de quem pensa na graduação em História logo imagina uma carreira no ensino, lecionando o tema em sala de aula. No entanto, a formação e as possibilidades profissionais vão muito além da atuação como professor.

Você sabe o que faz um profissional formado em História? Conheça mais detalhes sobre a profissão aqui na Universia.

A formação

Estudar História no ensino superior significa cursar a licenciatura ou o bacharelado –parte das IES disponibiliza o curso com as duas estruturas, simultaneamente. Cada uma das modalidades tem duração média de 8 semestres ou 4 anos.

Dedicado à investigar, estudar e discutir aspectos do passado humano, bem como seus desdobramentos e contextualizações levando em conta a contemporaneidade, o profissional historiador terá diferentes habilitações e perfis de atuação com base na modalidade que cursar.

A licenciatura prepara o graduado para trabalhar como professor, seja no ensino fundamental, médio ou superior (com as devidas e necessárias complementações no currículo).

O bacharel, por sua vez, poderá seguir como pesquisador em uma série de áreas, agindo junto à classificação, datação, arqueologia, entrevistas, resgate de memória e variadas outras linhas.

Material original e consultoria

Um historiador tem conhecimento e bagagem para produzir conteúdo didático, destinado a instituições de ensino, plataformas educacionais, editoras e outros. A consultoria é outra atuação interessante: produções culturais como filmes ou romances de época (bem como biografiaa) podem demandar a ajuda profissional de um graduado em História para acertar detalhes e maior exatidão na representação de períodos.

Pesquisa e carreira acadêmica

Os diversos ramos para pesquisa em História abrem várias possibilidades profissionais. Complementações em arquivologia, arqueologia, antropologia, História da arte e muitas outras levam o historiador a várias trajetórias de carreira. O lado acadêmico, como a docência e a pesquisa em universidades, também representa forte segmento na área.

Supervisão de acervo

O historiador também é habilitado para gerenciar acervos, coleções e documentação em instituições como museus, centros de memória e organizações dedicadas ao arquivo.

Outra possibilidade está no levantamento e tratamento da memória empresarial: revisão e disponibilização de relatos e detalhes que envolvem a fundação de uma companhia (a convite da mesma).

Fonte: Universia

Mantenha-se Informado

Nós podemos te enviar artigos fantásticos! Veja as vantagens:

  • Não é preciso ser aluno para receber nossos artigos;
  • Não encheremos sua caixa de entrada com SPAM;
  • Não receberá aquilo que não é do seu interesse;
  • Não existe qualquer taxa, é gratuito!

Você poderá cancelar sua assinatura a qualquer momento!

Artigos recentes