Lições do século 20 para o século 21, aprender a viver juntos – Faculdade Victor Hugo
Faculdade Victor Hugo
MENUMENU

Lições do século 20 para o século 21, aprender a viver juntos

Pilares são importantes para aprender história sem ódio e construir cidadania global

Para ex-ministro francês, educação poderia evitar a repetição de problemas do século 20

Jacques Delors, ex-ministro francês que trabalhou ativamente para a construção da União Europeia, coordenou nos anos 1990 a elaboração do relatório da Unesco chamado “Educação, um Tesouro a Descobrir”, em que se definiam quatro pilares da educação para o século 21.

Havia uma forte preocupação em evitar a repetição de problemas que marcaram o século que findava, como as duas guerras mundiais, os nacionalismos xenófobos ou os governos autocráticos de diferentes matizes. E Delors acreditava que uma educação diferente poderia evitá-los.

Os pilares definiam as aprendizagens necessárias para que o mundo trilhasse um caminho de paz e prosperidade: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a viver juntos.

Os dois primeiros dizem respeito tanto a saberes de diferentes áreas e a ferramentas para aprender ao longo da vida quanto à preparação para uma futura aplicação dos conceitos aprendidos em situação de trabalho ou interações sociais.

Mas quero me deter aqui um pouco nos dois outros pilares: aprender a ser e aprender a viver juntos.

Aprender a ser significa estar informado e confortável com sua ou suas identidades, o que envolve nacionalidade, cultura, visões de mundo e outros elementos identitários. Viver juntos constitui-se em aprendizado ligado ao respeito e tolerância frente às outras identidades ou pertinências grupais.

Os dois pilares são importantes para aprender história sem ódio, construir cidadania global, no sentido de saber que partilhamos com habitantes de outros países a mesma condição humana, e desenvolver empatia, que é a capacidade de se colocar no lugar do outro —competência central para uma vida pacífica em sociedade.

Delors tinha em mente, quando falou desses dois pilares, o que se passou na Europa desde as guerras franco-prussianas de 1871, e, em especial, como a identidade nacional dos franceses e dos alemães foi constituída uma em oposição à outra.

No fim, isso era ensinado nas escolas fazendo com que o orgulho da identidade se tornasse ódio “aprendido” ao outro.

O antídoto para um nacionalismo excludente e preconceituoso é aprender a viver juntos. E, quando combinados, os dois pilares permitem que se possa pensar na formação de jovens com identidades sólidas, maduras e não temerosas do que se lhes opõe.

Uma nova geração preparada para os desafios que a volatilidade e a incerteza próprias de nosso século nos apresentam.

Nos dias de hoje, os alertas do relatório Delors, feitos com base na história de um século que se encerrava, mostram-se decisivos para constituir uma educação que possa construir a paz e destruir o medo.

Fonte: Folha

Mantenha-se Informado

Nós podemos te enviar artigos fantásticos! Veja as vantagens:

  • Não é preciso ser aluno para receber nossos artigos;
  • Não encheremos sua caixa de entrada com SPAM;
  • Não receberá aquilo que não é do seu interesse;
  • Não existe qualquer taxa, é gratuito!

Você poderá cancelar sua assinatura a qualquer momento!

Lições do século 20 para o século 21, aprender a viver juntos

Não é apenas dar aula! Conheça as diferentes vertentes e possibilidades da carreira de um historiador.

O que faz um profissional formado em História?

Você sabe o que faz um profissional formado em História?

Você tem interesse em cursar História? Gosta dos conteúdos da disciplina e se dá bem nas questões do tema propostas nas provas? Boa parte de quem pensa na graduação em História logo imagina uma carreira no ensino, lecionando o tema em sala de aula. No entanto, a formação e as possibilidades profissionais vão muito além da atuação como professor.

Você sabe o que faz um profissional formado em História? Conheça mais detalhes sobre a profissão aqui na Universia.

A formação

Estudar História no ensino superior significa cursar a licenciatura ou o bacharelado –parte das IES disponibiliza o curso com as duas estruturas, simultaneamente. Cada uma das modalidades tem duração média de 8 semestres ou 4 anos.

Dedicado à investigar, estudar e discutir aspectos do passado humano, bem como seus desdobramentos e contextualizações levando em conta a contemporaneidade, o profissional historiador terá diferentes habilitações e perfis de atuação com base na modalidade que cursar.

A licenciatura prepara o graduado para trabalhar como professor, seja no ensino fundamental, médio ou superior (com as devidas e necessárias complementações no currículo).

O bacharel, por sua vez, poderá seguir como pesquisador em uma série de áreas, agindo junto à classificação, datação, arqueologia, entrevistas, resgate de memória e variadas outras linhas.

Material original e consultoria

Um historiador tem conhecimento e bagagem para produzir conteúdo didático, destinado a instituições de ensino, plataformas educacionais, editoras e outros. A consultoria é outra atuação interessante: produções culturais como filmes ou romances de época (bem como biografiaa) podem demandar a ajuda profissional de um graduado em História para acertar detalhes e maior exatidão na representação de períodos.

Pesquisa e carreira acadêmica

Os diversos ramos para pesquisa em História abrem várias possibilidades profissionais. Complementações em arquivologia, arqueologia, antropologia, História da arte e muitas outras levam o historiador a várias trajetórias de carreira. O lado acadêmico, como a docência e a pesquisa em universidades, também representa forte segmento na área.

Supervisão de acervo

O historiador também é habilitado para gerenciar acervos, coleções e documentação em instituições como museus, centros de memória e organizações dedicadas ao arquivo.

Outra possibilidade está no levantamento e tratamento da memória empresarial: revisão e disponibilização de relatos e detalhes que envolvem a fundação de uma companhia (a convite da mesma).

Fonte: Universia

Mantenha-se Informado

Nós podemos te enviar artigos fantásticos! Veja as vantagens:

  • Não é preciso ser aluno para receber nossos artigos;
  • Não encheremos sua caixa de entrada com SPAM;
  • Não receberá aquilo que não é do seu interesse;
  • Não existe qualquer taxa, é gratuito!

Você poderá cancelar sua assinatura a qualquer momento!

Artigos recentes