Como perder bons funcionários – Faculdade Victor Hugo
Faculdade Victor Hugo
MENUMENU

Como perder bons funcionários

Bons funcionários não ficam satisfeitos com o mínimo.

Cada vez se torna mais importante à valorização do capital humano para a manutenção de bons profissionais nas organizações e essa valorização não é estimulada apenas por remuneração, até porque esse deixou de ser um diferencial do mercado profissional. O que realmente aconteceu é que o profissional mudou. Hoje ele quer ser visto, ter oportunidade de crescimento e principalmente viver bem! Corre atrás de condições para que isso ocorra, por isso vemos o mercado aquecido e profissionais cada vez mais qualificados brigando por uma recolocação, muito deles empregados.

O que aconteceu é que essa tal geração Y percebeu a força que tem dentro do ambiente corporativo e já não se prende tanto como antes, seus anseios não são só o sustento, querem qualidade de vida, bons benefícios, plano de carreira. Hoje, um profissional busca oportunidades pelos benefícios que lhe são oferecidos, salário é uma conseqüência do desenvolvimento profissional. Mudar para a empresa e evoluir suas políticas passou a ser um planejamento para a sobrevivência, seja ela pequeno, médio ou grande porte. Algumas ainda relutam e perdem profissionais extremamente experientes que o mercado agarra com prazer.

E ao contrário do que muitos dizem, há alguns colaboradores que são insubstituíveis sim e repor a experiência e o conhecimento é impossível a não ser se esteja disposto a investir alto… Muitos não estão, e trocam 12/6 e esse com certeza é um grande salto para afundar uma empresa. Segue mais algumas dicas para futura falência:

1° Não valorize seus colaboradores, deixe-os na zona de conforto, mostre quão insignificante é a sua presença na empresa.

2° Invista na desorganização e na falta de comunicação, com certeza você terá pessoas desmotivadas e sem rumo trabalhando de forma descontrolada pra você…

3° Pra que valorizar pessoas… O negócio e dar resultados, esqueça os processos, busque os números… RH é pra processos de admissão e demissão quem move a empresa são os vendedores…

4° Sempre que existir uma vaga em aberto contrate alguém do mercado, afinal nem vale a pena verificar se há alguém preparado que possa ser promovido, isso nem motivará e renovará as expectativas dos outros…

5° Nunca aceite opinião, não se interesse pelas idéias dos seus colaboradores afinal eles nunca estarão contentes…

6° Priorize os trabalhos individuais assim eles não terão tempo para falar mal da empresa.

7° Não tente reciclar ninguém, se o profissional não deu certo em um determinado setor o problema é com ele, colocá-lo em outro departamento ou verificar seu perfil são perca de tempo.

8° Não mostre interesse caso ele esteja estudando ou buscando conhecimento já tem um cargo… Será que esta procurando outro emprego?

9° Esse negócio de confraternização, lembrancinhas em datas especiais é balela e só serve para promover a bagunça…

Considerações finais

Não sei se percebeu que o foco desse manual fala de ‘’pessoas’’e que elas regem sua empresa e crescimento, então se de tudo que está escrito aqui nada serviu para que você reaja e mude seus velhos conceitos de “gestão”, esqueça tudo que você viu e encare a realidade meu caro.

Sua empresa já faliu!

Fonte: LinkedIn

Mantenha-se Informado

Nós podemos te enviar artigos fantásticos! Veja as vantagens:

  • Não é preciso ser aluno para receber nossos artigos;
  • Não encheremos sua caixa de entrada com SPAM;
  • Não receberá aquilo que não é do seu interesse;
  • Não existe qualquer taxa, é gratuito!

Você poderá cancelar sua assinatura a qualquer momento!

Como perder bons funcionários

Não é apenas dar aula! Conheça as diferentes vertentes e possibilidades da carreira de um historiador.

O que faz um profissional formado em História?

Você sabe o que faz um profissional formado em História?

Você tem interesse em cursar História? Gosta dos conteúdos da disciplina e se dá bem nas questões do tema propostas nas provas? Boa parte de quem pensa na graduação em História logo imagina uma carreira no ensino, lecionando o tema em sala de aula. No entanto, a formação e as possibilidades profissionais vão muito além da atuação como professor.

Você sabe o que faz um profissional formado em História? Conheça mais detalhes sobre a profissão aqui na Universia.

A formação

Estudar História no ensino superior significa cursar a licenciatura ou o bacharelado –parte das IES disponibiliza o curso com as duas estruturas, simultaneamente. Cada uma das modalidades tem duração média de 8 semestres ou 4 anos.

Dedicado à investigar, estudar e discutir aspectos do passado humano, bem como seus desdobramentos e contextualizações levando em conta a contemporaneidade, o profissional historiador terá diferentes habilitações e perfis de atuação com base na modalidade que cursar.

A licenciatura prepara o graduado para trabalhar como professor, seja no ensino fundamental, médio ou superior (com as devidas e necessárias complementações no currículo).

O bacharel, por sua vez, poderá seguir como pesquisador em uma série de áreas, agindo junto à classificação, datação, arqueologia, entrevistas, resgate de memória e variadas outras linhas.

Material original e consultoria

Um historiador tem conhecimento e bagagem para produzir conteúdo didático, destinado a instituições de ensino, plataformas educacionais, editoras e outros. A consultoria é outra atuação interessante: produções culturais como filmes ou romances de época (bem como biografiaa) podem demandar a ajuda profissional de um graduado em História para acertar detalhes e maior exatidão na representação de períodos.

Pesquisa e carreira acadêmica

Os diversos ramos para pesquisa em História abrem várias possibilidades profissionais. Complementações em arquivologia, arqueologia, antropologia, História da arte e muitas outras levam o historiador a várias trajetórias de carreira. O lado acadêmico, como a docência e a pesquisa em universidades, também representa forte segmento na área.

Supervisão de acervo

O historiador também é habilitado para gerenciar acervos, coleções e documentação em instituições como museus, centros de memória e organizações dedicadas ao arquivo.

Outra possibilidade está no levantamento e tratamento da memória empresarial: revisão e disponibilização de relatos e detalhes que envolvem a fundação de uma companhia (a convite da mesma).

Fonte: Universia

Mantenha-se Informado

Nós podemos te enviar artigos fantásticos! Veja as vantagens:

  • Não é preciso ser aluno para receber nossos artigos;
  • Não encheremos sua caixa de entrada com SPAM;
  • Não receberá aquilo que não é do seu interesse;
  • Não existe qualquer taxa, é gratuito!

Você poderá cancelar sua assinatura a qualquer momento!

Artigos recentes